Do Encontro de Monitoramento ao Feminismo no Senado: Biofortificação tem rotina movimentada em Brasília

unnamed (1)

Em 25 e 26 de abril, ocorreu a reunião de monitoramento entre a equipe da Rede BioFORT, com o objetivo de alinhar estratégias e receber feedback das equipes de transferência de tecnologia do Maranhão e Piauí. O encontro ocorreu na sede da Embrapa, em Brasília, e contou com a participação de Marília Nutti (Embrapa Agroindústria de Alimentos), André Dusi (Embrapa Sede/Ministério da Agricultura), Adão Cabral (Embrapa Meio-Norte), Carlos Vitoriano Lopes (Embrapa Cocais), Ligia dos Santos (Embrapa Meio-Norte), Apes Perera (Embrapa Sede), Pedro Santiago (BioFORT/HarvestPlus), Graciela Vedovoto (Embrapa Sede) e Raphael Marques da Silva (BioFORT/HarvestPlus). A equipe tem procurado estar em frequente contato para dar sequência aos trabalhos envolvendo as projeções do número de pessoas atingidas com os alimentos biofortificados.

unnamed

Ainda, no início da tarde do dia 26, Marília Nutti, líder da Rede BioFORT, participou de um painel de discussão sobre o papel das Mulheres na Ciência, realizado no Senado Federal, em comemoração ao aniversário da Embrapa.

event-editted

Um debate sobre a participação das mulheres na ciência levou gestores, pesquisadores e a própria presidente da Sociedade Brasileira do Progresso da Ciência (SBPC) a cobrarem políticas públicas e iniciativas legislativas. O evento ocorreu na quarta-feira (26) no Senado, promovido com a Procuradoria Especial da Mulher do Senado, que mantém o projeto Pautas Femininas, com audiências públicas mensais. Esta edição do debate foi organizado em parceria com a Embrapa, como parte da comemoração dos 44 anos da Empresa.

“Ignorante é a sociedade que não aproveita a capacidade da mulher”, disse a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM). Procuradora Especial da Mulher do Senado, ela destacou o grande débito que setor primário brasileiro tem com a Embrapa, cujas tecnologias já valeram até a indicação de uma pesquisadora ao Prêmio Nobel, em 2007.

A Diretora-Executiva de Administração e Finanças, Vania Beatriz Rodrigues Castiglioni, falou da importância do papel da mulher na Ciência e destacou o trabalho da pesquisadora já falecida Johanna Döbereiner, cujo resultado de sua pesquisa ajudou a revolucionar a produção da cultura de soja no Brasil. “O trabalho de fixação biológica do nitrogênio, realizado por ela  poupa ao nosso país bilhões de dólares”, destacou.

Marília Regini Nutti, engenheira de alimentos e pesquisadora da Embrapa Agroindústria de Alimentos, enfatizou a importância da educação desde a educação primária.

“Os meus pais queriam muito um Marcelo, mas vieram três mulheres, Marilda, Marília e Miriam”. Porém, meu pai sempre nos encorajou, de andar de carrinho de rolimã e jogar futebol a escolher engenharia mecânica”.

Para ela, as mulheres não podem ser egoístas na questão da igualdade de gênero. Precisamos considerar também as pessoas LBT e outros gêneros, para que não cometamos com outros o mesmo que cometeram conosco”.

As variedades de biofortificação, BRS Cometa (feijão), BRS Xiquexique (feijão-caupi), BRS Supremo (feijão) e BRS 4104 (milho) foram expostas a todos os presentes no evento.

 

*Fonte:

Embrapa Agroenergia

Lunde Braghini Júnior 
Senado Federal